Impacto Socioeconômico

Impacto socioeconômico

A indústria de alimentos e bebidas apoia desde o início o processo de mudança regulatória da rotulagem nutricional conduzido pela Anvisa, cujo objetivo é estimular hábitos saudáveis por meio de informações nutricionais que levem a uma alimentação mais equilibrada. Esse é também o objetivo do setor produtivo e da Rede Rotulagem.

Um estudo encomendado à consultoria GO Associados comparou o impacto socioeconômico da adoção do modelo proposto pela Rede Rotulagem em comparação com modelos que têm foco no alarmismo e na tutela do consumidor.

Os resultados do estudo mostram que, além de menos efetivo para mudar hábitos alimentares e contribuir para a saúde da população, o modelo alarmista causaria um impacto socioeconômico negativo desnecessário.

Realizado em julho de 2018, o estudo apontou risco de perdas adicionais de quase R$ 100 bilhõesna economia brasileira caso sejam adotados no País os modelos de rotulagem nutricional alarmistas em detrimento do modelo informativo proposto pela Rede Rotulagem.

O estudo aponta um impacto negativo direto adicional na indústria de alimentos e bebidas, em função da redução da demanda da indústria de alimentos, de R$ 24,4 bilhões, o equivalente a 10,34% do consumo.

A análise dos economistas da GO apontou potencial de perda de 1,9 milhão de empregos em consequência da retração da produção nacional provocada pela opção por modelos de rotulagem nutricional de alerta, o equivalente a R$ 14,4 bilhões em massa salarial

A perda de empregos atingiria todos os setores da economia, sendo 808 mil vagas de trabalho fechadas na agropecuária, 723 mil no setor de serviços e 364 mil na indústria.

Em termos de tributos, deixariam de ser arrecadados no País aproximadamente R$ 8,9 bilhões em impostos.

A produção do setor de serviços seria afetada em aproximadamente R$ 32,4 bilhões, em função da menor produção de insumos (R$ 14 bilhões) e da queda de consumo das famílias decorrente da contratação de menos trabalhadores (R$ 18,4 bilhões)

setor agropecuário seria impactado com retração de R$ 13,6 bilhões, sendo R$ 11,2 bilhões pelo efeito indireto e R$ 2,4 bilhões decorrente do efeito renda

Outras atividades do setor industrial (vestuário, embalagem, construção, etc.) somariam um impacto negativo de R$ 28,4 bilhões, sendo R$ 14,3 bilhões de forma indireta e R$ 14,1 bilhões pelo efeito renda.

O estudo, desenvolvido pelos economistas Gesner Oliveira e Andréa Curi, considerou o comportamento dos consumidores em relação aos tipos de rotulagem (pesquisa IBOPE) para projetar a diferença de retração da demanda entre os modelos propostos e os impactos na economia como um todo.

REDE ROTULAGEM

ABIAABIRABIADABIAMABICABABLVABIMAPIABIOVEABIQABITRIGOABPAABRASABREABRABESIAEGSINDICARNES SPSINDILEITESIMABESPViva LácteosUNICACNI